Quando Luciana entrou pelo portão da casa, localizada em uma rua sem nome, segurando um presente de Natal, ficou emocionada ao ver o jardim cheio de flores. Aquela casa em nada lembrava a construção que havia em seu lugar há nove anos.

Antes da ação realizada durante o Dia de Cooperar da Unimed, a casa da Dona Sandra tinha apenas um cômodo, com chão de terra batida. Faltava banheiro, pia, cama e todos utensílios de cozinha. Enquanto o marido trabalhava capinando, Dona Sandra passava os dias cuidando das crianças, uma delas, bebê, e a outra com uma deficiência mental.

Casa da Dona Sandra antes do Dia C

Ao ver que podia ajudar a Dona Sandra, Luciana convidou outros colaboradores da Unimed São Lourenço para fazer uma reforma na casa. Os detentos da cidade também foram convidados para participar dessa história. Como levava o lanche para eles, Luciana não demorou para perceber que se os detentos tinham começado a reforma incentivados pela redução de pena oferecida pelo sistema carcerário, algo havia mudado. Eles estavam felizes em ajudar.

A iniciativa dos colaboradores da Unimed, o trabalho dos detentos e as doações de materiais de construções que chegaram de vários cantos da cidade fizeram com que, aos poucos, a casa ganhasse o que faltava para ser chamada de lar.

Há quem acredite que essa é uma história sobre a reforma da casa da Dona Sandra. Mas, mais do que isso, essa é uma história que transformou a vida não só de uma família, mas dos colaboradores da Unimed, dos detentos e até de quem chegou mais tarde e ficou sabendo da história no final.

Muitas vezes, ao olharmos as dificuldades que outras pessoas passam, descobrimos que os nossos problemas nem são tão grandes quanto pensávamos. E nos lembramos que tudo pode melhorar quando envolvemos dedicação e amor.

Ver comentáriosFechar comentários

Deixe seu comentário

Top