Aquele tinha tudo para ser um dia normal na vida do Dr. Manoel Arcísio, ginecologista e obstetra na Unimed de Governador Valadares. No entanto, a calmaria foi interrompida pela ligação da secretária anunciando uma situação inusitada. Quatro galinhas caipiras vivas, amarradas de cabeça para baixo em um pedaço de madeira, esperavam o Dr. Manoel na recepção.

Quando chegou ao consultório, ainda atônito pela notícia, o Dr. Manoel recebeu um abraço caloroso do visitante que trazia as galinhas. Morador da zona rural, ele avisou que a esposa só não havia vindo porque estava de resguardo. Ainda assim, ela tinha escolhido as galinhas a dedo. Era a forma que encontraram de agradecê-lo pelo parto e por todos os cuidados durante os últimos nove meses.

Em meio a gargalhadas, a história rendeu uma galinhada para os plantonistas do Hospital de Governador Valadares. E não foi a única vez que o Dr. Manoel recebeu o carinho dos pacientes em forma de presentes inusitados. Certo dia, quando abriu a caixa trazida pelo marido de uma paciente, foi surpreendido por um cabrito sem cabeça.

A homenagem virou uma festa em um bar da cidade. Responsável por decidir o prato, a cozinheira conseguiu agradar aos gregos e aos troianos. Teve cabrito cozido, cabrito assado e cabrito à napolitana, temperado com vinho, azeitona e parmesão.

Para o Dr. Manoel, a alegria não vem de saborear a galinhada, o cabrito ou tantos outros presentes que já recebeu, mas de saber que seus pacientes têm carinho por ele. Para o médico obstetra, o afeto é o ingrediente principal da medicina e o melhor presente que um médico, ou qualquer outro profissional, pode receber.

Ver comentáriosFechar comentários

Deixe seu comentário

Top