“Eu estava preocupada com a cirurgia do Davi. Ele tem quatro anos e é uma criança muito agitada. Passa de um brinquedo para o outro em um minuto e adora ficar correndo pela casa com um carrinho de bombeiro. Não sabia se ele ia conseguir ficar tranquilo antes e depois da cirurgia.”, nos contou Ana Carolina Dias Martins, de 32 anos, que levou o filho de 4 anos para ser operado no Hospital de Poços de Caldas da Unimed.  

A cirurgia estava marcada para 11 de junho, mas quando Davi chegou no hospital, ele estava resfriado e o médico achou melhor remarcar a internação. “Foi uma sorte! Voltamos no dia 25 de junho e foi exatamente o dia que o carrinho elétrico chegou no Hospital. ” O carrinho  foi criado para levar a criança do quarto para o bloco cirúrgico e deixar esse momento mais descontraído. Como Davi já estava indo para a cirurgia quando o carrinho chegou, a experiência aconteceu depois que ele se recuperou da cirurgia. 

“Quando o Davi acordou da anestesia, estava muito agitado e confuso. Disse para  ele que já estava quase na hora de aproveitar o carrinho e a tensão começou a passar. A enfermeira mostrou que o carro tinha buzina e até rádio. Quando ele começou a dirigir, todo mundo apareceu no corredor para assistir e ele fez uma festa!”

Davi já está em casa há mais de um mês, mas ainda não se esqueceu do carrinho. “Agora ele não vê mais hospital como algo ruim. Antes, toda vez que falava em hospital ele lembrava de injeção e chorava. Agora, ele pensa no carrinho. No dia da cirurgia, não queria nem ir embora. Quem é mãe sabe que, em um momento desses, só ficamos tranquila depois que vemos nosso filho sorrindo e brincando outra vez.”

Ver comentáriosFechar comentários

Deixe seu comentário

Top