“Criei o curso Casal Gestante em 2010 na Unimed Uberaba para oferecer um conteúdo voltado para a saúde da gestante e do bebê. No início, poucos homens participavam e o nosso maior desafio era mostrar como a presença deles é importante neste momento. Até hoje não me esqueço da primeira vez que um pai apareceu sozinho em um dos encontros. Como a mulher dele precisava de repouso, ele veio no lugar dela. Aquilo foi muito emocionante. Hoje, temos cerca de 50 casais por curso.”, nos contou o Dr. Luciano Borges, pediatra e especialista em aleitamento materno. 

Um dos assuntos mais trabalhados durante o curso Casal Gestante é a amamentação. “Um bebê que se alimenta do leite materno até pelo menos os dois anos tem muito mais chance de não desenvolver doenças na infância e na vida adulta. O problema é que, por falta de orientação, muita gente começa a dar chupeta e mamadeira para o bebê e, como a pega é muito mais fácil, depois a criança não consegue mamar no peito. Isso pode provocar a baixa produção do leite, mastite e uma série de outros problemas.”

No início do Curso Casal Gestante, em 2010, Luciano fez uma pesquisa com os pais perguntando como eles pensavam que podiam ajudar durante a amamentação. A maioria respondeu falando sobre dar apoio emocional. Hoje, depois de nove anos trabalhando este conteúdo, que também têm sido cada vez mais abordado em outros lugares, Luciano reparou que houve uma mudança significativa na participação dos pais. “Eles querem entender a maneira correta de amamentar e de ordenhar para avaliar a técnica ao lado da mulher. Muitos também querem aprender a dar o leite materno para o bebê em um copinho, sem a mamadeira, para quando a mãe não estiver presente. Esse é um dos significados de ser um Casal Gestante. É fazer junto, não é mesmo?”

Ver comentáriosFechar comentários

Deixe seu comentário

Top