O desejo de viajar faz parte da família do Dr. Rodrigo Penha há muito tempo. Sua esposa, Lídia Mayrink, também médica, viaja desde antes de colocar os pés neste mundo. Na barriga da mãe, pegou carona na beira da estrada do México, fez parada em todos os países da América Central e nasceu brasileira. Ao lado de Lídia, Rodrigo e os dois filhos do casal continuam viajando por aí. Para unir as viagens à profissão, Dr. Rodrigo, que é Cardiologista na Unimed Uberlândia, usa as histórias que conhece ao redor do mundo para incentivar seus pacientes a terem hábitos de vida mais saudáveis.

“Já estive em mais de 40 países. Conheci atitudes positivas para a saúde e outras péssimas. Os portugueses, por exemplo, têm uma ótima tradição. Além de comerem muitos legumes regados no azeite e tomarem uma taça de vinho todos os dias, sempre dormem um pouquinho depois do almoço. É o oposto dos americanos, que comem na frente do computador ou enquanto se deslocam de um lugar para o outro. A gente consegue ver como isso faz diferença no estado de espírito e na saúde das pessoas.

Um dos povos mais saudável que conheci foi em um pequeno país chamado Laos, na Ásia. A vida por lá segue outro ritmo. Não estão sempre correndo e preocupados em ganhar dinheiro. Na China, também aprendi uma lição que até hoje conto para os meus pacientes. Uma senhora de 94 anos estava caminhando na Muralha da China bem mais rápido do que eu e minha esposa. Perguntei para ela qual era o segredo de tanta animação. E ela me respondeu: pouco prato e muito sapato.”

Depois de conhecer tantas histórias ao redor do mundo, Dr. Rodrigo tem ainda mais certeza de que na maioria das vezes, não precisamos de grandes tecnologias para ter uma vida saudável. “O principal é moderação. Comer bem, fazer exercícios, não trabalhar em excesso. Viajar também ajuda muito. Quando voltamos, estamos muito mais dispostos para buscar esse equilíbrio necessário em tudo que fazemos.”

Ver comentáriosFechar comentários

Deixe seu comentário

Top